sábado, 3 de janeiro de 2015

Clima natalino planetário



Os últimos seis anos desenharam uma ladeira de pessimismos a que a humanidade se viu empurrada para enfrentar a crise do sistema capitalista para que a elite política e financeira não perdesse a sua vida faustosa em que desperdiça biliões em uma vida perdulária e cruel com os mais desfavorecidos. Invasões de países préviamente debilitados por ação imperialista, assassinatos de presidentes e líderes de povos autonomos que construiam a sua história, chacinas de civis por aviões sem pilotos e jovens terroristas sem cérebro humano, fechamento de empresas produtivas para sobrevivência de redes multinacionais que vendem lindos gatos por lebres extintas, cobranças de elevadas taxas aos jovens que querem estudar, destruição de empregos para exportação de pobres que serão escravos em nações ricas, o esfarelar de Estados centenários com suas instituições e patrimônio nacionais, para adotar o Estado Mínimo importado em modelo plastificado. Um horror!, negado pela mídia fantasiosa que tudo pinta de cor-de-rosa e oculta a inteligência humana natural sob o peso da mediocridade iluminada artificialmente. Crescem as estatísticas de crimes, suicídios, homicídios familiares, índices de loucuras inexplicáveis, formas de terrorismo e exércitos mercenários financiados pelo imperialismo. Um pavor!, que enriquece a indústria farmacêutica com os tratamentos anti-depressivos e o mercado das drogas e a de armas para estimular os delinquentes que detêm o poder planetário.

Muitos dos que um dia participaram da luta ideológica contra a exploração do trabalhador e da miséria humana, comunistas e democratas, unidos a ateus, cristãos, muçulmanos, politeistas, perseguidos por apontarem os erros da elite poderosa que governa o mundo com a manipulação do sistema do capital e das armas, começavam a denotar desânimo e cansaço. Minava-se a esperança sob a avalanche anticultural distribuida em pacotes de filmes da Fox, AXN e outras empresas especialistas em terrorismo que invadem as televisões domésticas que deturpam o noticiário verídico. Gerava-se o desencanto que constrói o egoismo, o desinteresse pelo outro, a alienação, a vontade de morrer, os surtos de loucura. O mundo ensombrecia nos meses finais de 2014.

Porém, a dinâmica da luta permanente dos que não desistem lançou as suas tenras folhas e caules a partir das sólidas raizes presas a um solo secular regado de sangue e lágrimas que cobre o planeta. O Presidente Obama, em campanha eleitoral, anuncia o fim dos 50 anos de bloqueio ao desenvolvimento da heróca nação cubana e liberta os cinco anti-terroristas que mantinha nos seus cárceres; o Presidente da Russia ex-soviética analisa o papel nefasto da política imperialista dos Estados Unidos responsável pelo terrorismo principalmente no Oriente Médio e em nações do norte da Africa, e anuncia a formação de uma União Asiática para dialogar com a União Europeia sobre a responsabilidade de assegurar o futuro pacífico da humanidade; a América Latina fortalece a CELAD e ALBA que une as suas nações na construção da democracia e no combate á miséria para se defenderem do sistema financeiro imperial que asfixia os povos; a Palestina conta com o apoio da ONU e também do Vaticano para exigir que Israel seja afastado do território nacional que lhe cabe; os países mais pobres da Europa fazem as maiores manifestações populares e greves da sua história contra a opressão da Troika e FMI que impõem a austeridade aos mais desfavorecidos; os deputados de esquerda em Portugal desvendam a podridão que enlameia o sistema financeiro nacional sob a sugestiva bandeira do Espirito Santo com o hábito de usar em vão os nomes respeitados pela tradição popular para acobertarem os seus crimes contra os povos; o Papa Francisco aponta os erros comezinhos que minam a Igreja Católica na prática da maledicência, da inércia burocrática, na vaidade pessoal e no desprezo dos ingênuos, que pervertem os valores humanos apregoados; um dos altos expoentes da União Europeia, Jean-Claude Juncker, é acusado de cumplicidade criminal em processo de evasão fiscal no Luxemburgo assim como Cristine Lagharde, presidente do FMI é acusada de abuso de poder em processos excusos da política francesa quando era Ministra; um ex-primeiro ministro de Portugal é preso sob acusação de lavagem de dinheiro e o povo lamenta que outros ilustres não lhe façam companhia; a irmã do Rei de Espanha é processada por desvio de dinheiro público. E mais ainda poderá acontecer com gente famosa que sempre esbanjou a mais valia e os salários devidos aos trabalhadores e os recursos dos Estados para assegurarem a saúde, o ensino, a previdência social aos povos.

Foi um excelente Cabaz de Natal para os povos de todo o planeta. Sem ingenuidade sabemos que todas as prendas têm o grande valor da esperança renovada na luta que nos unirá no Feliz Ano Novo!

A media internacional mantem-se ausente, ocupada com a elite do futebol e produtos de atração turística, além de deturpar danças e músicas para excitar a insensibilidade popular que cultiva. Mas não importa porque a participação nos levará a conversar com toda a gente de boa vontade que é a maioria em todos os países.

Boas Festas! Boa luta! Venceremos!

Zillah Branco

Nenhum comentário:

Postar um comentário