sábado, 28 de fevereiro de 2015

Igualdade de direitos?




Eu sou brasileira, formada pela FFCL-USP, 78 anos, trabalhei e descontei para a Previdência no Brasil (60 meses), Chile (40 meses), Portugal (103 meses), além dos muitos em que fiquei desempregada ou trabalhei com recibos verdes. Levei 10 anos requerendo no INSS de Itanhaém, São Paulo para que me pagassem uma aposentadoria e com o apoio e uma sentença judicial do Juizado Especial Federal obtive 213 reais. Sem conseguir sobreviver com tal salário no Brasil, recorri à familiares que vivem em Portugal para onde o INSS envia as mensalidades das quais deduz 25% para o IRS por eu ter residência no estrangeiro.

É assustadora a distância estabelecida entre o que recebem altos funcionários do Estado Brasileiro e os "pé de chinelos" dos que foram obrigados a emigrar para não serem perseguidos pela Ditadura Militar de 1964/85 que hoje pretende voltar para destruir grandes melhoramentos que o período iniciado por Lula conseguiu fazer para reconhecer os direitos de cidadania dos 200 milhões de brasileiros que sobrevivem nas situações de miséria do Terceiro Mundo.

Comparemos:

Deputados federais no Brasil ganham R$ 33,7 mil por mês, além de R$ 92 mil mensais de verba de gabinete, entre outros benefícios (divulgação)
PRESIDENTE DA REPÚBLICA.
Salário mensal: R$ 30,9 mil.
Moradia: Duas residências oficiais em Brasília – o Palácio da Alvorada e a Granja do Torto.
Plano de Saúde: Todas as despesas são pagas, incluindo as de familiares diretos.
Cotas: Não tem. A Presidência tem cartões corporativos, cujo limite varia de acordo com o orçamento.
Passagens: Viaja em aviões da FAB tanto em missões oficiais quanto em viagens de âmbito particular.
Cargos de confiança: Não há limites. Depende da criação de cargos autorizada pela Presidência.

MINISTROS DE GOVERNO.
Salário mensal: R$ 30,9 mil.
Moradia: Residência oficial ou auxílio moradia de R$ 6,6 mil.
Plano de Saúde: Não têm assistência específica, exceto se tiverem sido servidores públicos.
Cotas: Não têm. Têm acesso a cartão corporativo com limite que varia de acordo com o orçamento de cada ministério.
Passagens: Em missões oficiais, podem usar aviões da FAB ou voos de carreira.
Cargos de confiança: Não há limites. Depende da criação de cargos autorizada pela Presidência.

MINISTROS DO STF
Salário mensal: R$ 33,7 mil.
Moradia: Residência oficial ou auxílio-moradia de R$ 4,3 mil.
Plano de Saúde: Pagam plano de saúde específico do STF. Dependentes e cônjuges podem ser incluídos na cobertura.
Cotas: Não têm direito a cotas ou verbas de gabinete e nem acesso a cartões corporativos. Cada ministro tem direito a um carro oficial e motorista. Gastos com combustível são ilimitados.
Passagens: Cota anual de R$ 42,8 mil para gastos com passagens. O presidente do STF também pode viajar em aviões oficiais.
Cargos de confiança: Cada ministro pode nomear até 8 funcionários de confiança. Metade deles deve ser concursado. O salário bruto de cada assessor é de R$ 10,3 mil.

SENADORES
Salário mensal: R$ 33,7 mil.
Moradia: Apartamento funcional ou auxílio-moradia de R$ 4,2 mil.
Plano de Saúde: Senadores, cônjuges ou dependentes de até 21 anos (ou 24, quando universitários), têm despesas médicas reembolsáveis. Limite para despesas odontológicas e psicoterápicas é de R$ 25,9 mil.
Cotas: Cota parlamentar: R$ 15 mil (paga despesas com funcionários, aluguel de escritório de apoio, material de consumo, combustíveis, consultoria, entre outras). Despesas extras: R$ 9 mil (custos com gráficas e telefonia fixa). Despesas com telefone celular são ilimitadas.
Passagens: Cinco trechos de passagens aéreas entre a capital do Estado do senador e Brasília por mês.
Cargos de confiança: Podem nomear funcionários em Brasília ou em seus escritórios regionais desde que dentro do limite imposto pela cota parlamentar que é de R$ 15 mil por mês.

DEPUTADOS FEDERAIS
Salário mensal: R$ 33,7 mil.
Moradia: Apartamento funcional ou auxílio-moradia de R$ 4,2 mil.
Plano de Saúde: Deputados e familiares têm atendimento médico gratuito no departamento médico da Câmara. Deputados também podem ter despesas médicas e odontológicas realizadas na rede privada reembolsadas. A medida não se aplica a familiares.
Cotas: Cota de R$ 30,2 mil a R$ 44,9 mil (pode ser usada para pagar passagens, telefone, Correios, fretamento de aeronaves entre outras despesas. Varia de acordo com o Estado do parlamentar). Verba de gabinete: R$ 92 mil (destinada ao pagamento de cargos de confiança).
Passagens: Podem comprar passagens com a verba de gabinete. A partir de 2015, as mulheres dos deputados também poderão ter passagens pagas pela Câmara.
Cargos de confiança: Têm direito a nomear até 25 funcionários cujos salários somados não podem ultrapassar R$ 92 mil.

( divulgado no Pragmatismo Político no Twitter e no Facebook, 26/02/15)

Zillah Branco

Meus queridos filhos e netos,

Apesar da desproporção de rendimentos eu sobrevivo de forma equilibrada porque organizei as poupanças, recebo 1/3 do salário mínimo de Portugal, comprei um mini-apartamento e vivo como o povo português (melhor que o brasileiro), votei e defendo o governo Dilma, atribuo as injustiças às pressões imperialistas através do sistema monetário internacional, à mentirosa informação social da mídia e a velha oligarquia brasileira que defende seus privilégios e sabota o Estado para que não seja democrático. E continuo lutando de todas as maneiras que me são possíveis, o que mantém a minha alegria e a dignidade de cidadã livre.
Beijos da Mãe/Vó

Um comentário:

  1. Viva, Zillah! Cheguei agora mesmo ao teu blogue. Tu és um exemplo de vida, como este teu blogue e este último texto testemunha. Mas sobretudo és, para mim, um exemplo de luta e de persistência. Um abraço e obrigada. H Zé

    ResponderExcluir