sexta-feira, 5 de outubro de 2018

A vergonha de ficar do lado errado da História


Publicado no Portal Vermelho
05/10/2018

Pense bem antes de escolher os seus candidatos a Presidente e Vice. Está em causa a situação do Brasil, o seu país, a sua Pátria, os mais de 200 milhões de mulheres e homens, de todas as idades, de todas as etnias, com todas as diferenças que enriquecem a humanidade. Você vai somar com os que lutam por um futuro melhor para todos, ou com os egoistas que acumulam as moedas para parecerem fortes e poderem escravisar os mais pobres?

O mundo capitalista está em pandarecos, sem valores éticos, sem justiça, sem saúde e ensino gratuitos, sem previdência para garantir uma velhice tranquila. Trump rosna alto mas não tem coragem de morder quando percebe que a China - o maior país em desenvolvimento no mundo - e a Russia - que herdou um conhecimento militar, tecnológica, de organização do Estado altamente desenvolvido durante o período revolucionário - estão construindo um caminho para o socialismo que incorpora as conquistas do capitalismo na sua fase democrática. Os fascistas de hoje imitam Hitler por desespero, pelo que tinha de monstruoso e violento, como artista de cinema rastaquera, mas esquecem que ele foi eliminado pelo exército vermelho e pelos povos europeus que fizeram a resistência.

De que lado você ficará? O que dirá ao seu filho quando ele quiser saber de que valores precisa para ser um adulto respeitável?

Nelson Mandela, quando foi preso na Africa do Sul e condenado a mais de 20 anos de trabalho forçado por exercer a resistência em defesa da soberania do seu povo, descobriu que "era um símbolo da justiça no tribunal opressor, o representante dos nobres ideais da liberdade, da justiça e democracia numa sociedade que desonrava essas virtudes. Compreendi naquele momento que podia prosseguir a luta dentro da fortaleza do inimigo" (Caminho da Liberdade). Foi assim que se sentiu Lula, quando se deixou sequestrar pela polícia federal. Viu-se fortalecido no seu papel de herói do seu povo, ganhou forças para suportar essa traição do sistema judicial corrompido, ficou abraçado pelos trabalhadores do campo e das cidades, pelos intelectuais nacionais e estrangeiros. A luz que o ilumina vence limites de classe e fronteiras entre nações. Tornou-se o maior símbolo da Paz que o Prêmio Nobel terá de reconhecer!

E você, que está livre, e deve votar para oferecer o seu apoio cidadão? De que lado ficará? Não se trata de uma loteria ou da côr da roupa, é a confirmação do seu valor perante todos, da sua família à toda a humanidade que luta pela sobrevivência e a soberania nacional, perante a sua consciência.

O Brasil tem só dois caminhos: voltar a crescer, corrigindo os erros das nefastas alianças interesseiras, reconstruir os caminhos de apoio às populações mais pobres, à criação de caminhos para desenvolver a educação levando os mais talentosos à formação superior por meio de bolsas de estudo, trazer o atendimento médico a todos os cidadãos, construir habitações condignas para quem está desalojado, reduzir os privilégios dos "tios patinhas e patricinhas" para dar condições de vida aos 200 milhões de brasileiros que trabalham mal remunerados, recuperar as riquezas que o governo Temer ofereceu de bandeja ao imperialismo; ou dobrar mais ainda a espinha, como Temer "et catærva" faz sem esforço (já que gosta de servir ao dono).

O futuro depende de cada voto bem pensado e assumido com consciência de cidadania. Isto significa que você terá de pensar que é responsável pelo caminho do seu próprio desenvolvimento e o da maioria dos que trabalham ou estudam ao seu lado, das crianças e idosos que já viu sofrendo carências, dos que ainda buscam a comida no lixo, dos que diante da violência procuram o suicídio. Do seu voto depende a volta das empresas nacionais - Petrobrás, Embraer, institutos de formação científica etc - (vendidos na feira das vaidades de Temer e seus 40 amigos) para compor o patrimônio dos brasileiros.

Do seu voto depende a realização de referendos populares para restaurar a democracia e aprofundar a organização do Estado "sem portas do cavalo" para funcionários privilegiados perpétuamente, com a recuperação da Justiça, cega mas honrada.

Do seu voto depende o brilho internacional do Brasil alcançado sob a Presidência de Lula que uniu países vizinhos na constituição de uma nova força Latino Americana para vencer centenas de anos da dominação colonial, do desprezo internacional, do roubo permanente pelos ladrões imperiais.

Do seu voto depende o fim da escravidão que assola os paises espezinhados pelo neo-liberalismo que Pinochet introduziu na América do Sul. Compreenda bem o seu papel na História e levante a cabeça porque o futuro depende da coragem de cada um.

Zillah Branco

Nenhum comentário:

Postar um comentário